Tunísia

Por Marie Melo

 

  • Destino: Tunisia
  • Capital: Túnis
  • Ano de Fundação: 1000 a.C.
  • Moeda: Dinar Tunisiano
  • Idioma Oficial: Árabe
  • Outros Idiomas: Françes, Inglês
  • Religião Predominante: Muçulmana
  • Regime de Governo: Presidencialismo Pluralista
  • Feriados Oficiais:
    01° de Janeiro – Ano Novo
    15° de Fevereiro – Le Mouled
    20° de Março – Dia da Independência
    09° de Abril – Martyr´s Day
    01° de Maio – Dia do Trabalhador
    25° de Julho – Dia da República
    13° de Agosto – Dia das Mulheres
    26° de Novembro – Ano Novo Islâmico
  • Número de Habitantes: 10.216.000
  • Principais Aeroportos: Aeroporto de  Tunis (TUN), Aeroporto de  Djerba(DJE), Aeroporto de  Monastir (MIR), Aeroporto de  Enfidha (NBE), Aeroporto de Sfax El Maou (SFA), Aeroporto  de Gabes (GAE), Aeroporto  de Tozeur (TOE), Aeroporto  de Gafsa (GAF), Aeroporto  de Tabarka (TBJ)
  • Principais Cias que voam para o destino: Air France (AF), British Airways (BA), Tap (TP), Swiss Air (LX) Qatar Airways (QR)
  • Principais Pontos Turísticos:

 Lago Chott El Jerid
Ruinas de Cartago e Douga
Matmata
Deserto de Dunas
 

  • Comidas Típicas: As deliciosas comidas típicas, com couscous e muita carne de carneiro, são servidas em quase todos os lugares. Como entrada, o mais comum é ter pão e harissa, uma pasta de pimenta vermelha que deve ser comida com bastante azeite.
  • Música Tradicional: O país é mais conhecido por Malouf, uma espécie de música importada de Andaluzia depois da conquista espanhola no século XV.
  • Temperatura Média:
    Verão: 30°C
    Inverno: 12° C
  • Fuso horário em relação a Brasília: +4 horas 
  • Informações Gerais: A Tunísia é um país da África do Norte e que pertence à região do Magrebe. É limitada ao norte e o leste pelo Mar Mediterrâneo, através do qual faz fronteira com a Itália, ficando especialmente próxima da Ilha de Pantelária e das Ilhas Pelágias. Possui fronteira ocidental com a Argélia (965 km) e a leste e sul com a Líbia (459 km). A sua capital e maior cidade é Túnis, que está situada no nordeste do país. Quase 40% da superfície do território é ocupado pelo deserto do Saara. O restante é constituído de terras férteis, que foram berço da civilização cartaginesa, a qual atingiu o seu apogeu no Século III a.C., antes de sucumbir ao Império Romano. Por Muito tempo foi chamada Regência de Túnis, estando sob a dominação otomana. A Tunísia passou a ser protetorado francês em 1881 e adquiriu a independência em 20 de Março de 1956. O país toma a denominação oficial de Reino da Tunísia com o final do mandato de lamina Bey, que, no entanto, não levou nunca o título de rei, e é proclamada república em 25 de Julho de 1957
    Integrada nas principais comunidades internacionais, Tunísia faz igualmente parte da Liga Árabe, da União Africana e da Comunidade dos estados de Sahel-Sahara, entre outras. 
  • História:  O território onde está a Tunísia foi colonizado no ano 1000 a.C. pelos fenícios, povo de origem semita que fundaram Cartago, importante centro comercial do mar Mediterrâneo até a destruição pelos romanos em 146 a.C. Passou então a fazer parte do Império Romano. Os árabes conquistaram a região no século VII da Era Cristã e transformaram a cidade de Túnis no mais importante centro religioso islâmico do norte da África.
    Em 1574, a Tunísia é incorporada ao Império Turco-Otomano e permanece administrada por governadores turcos (beis) até 1881, quando se torna protetorado da França. Na Segunda Guerra Mundial, o país, foi ocupado pelos alemães, tornando-se palco de combates. Com o fim do conflito floresce o movimento nacionalista tunisiano.
    Em 1956, a França concede independência à Tunísia. Habib Bourguiba, o principal líder nacionalista, é eleito para a presidência em 1959, transformando-se posteriormente em presidente vitalício.
    Em 1964, o seu partido torna-se o único legal. A invasão do sul do país pela Líbia, em 1980, é prontamente repelida. Greves e manifestações populares marcam os anos 80 e refletem crescente insatisfação com o governo Bourguiba. Em 1987, o líder é considerado incapaz de governar, sendo substituído pelo primeiro-ministro Zine El Abidine Ben Ali, que revoga a presidência vitalícia e estabelece a liberdade partidária. Há uma retomada do crescimento econômico, que chega a 4,8% em 1992, com incremento do turismo e das relações com a União Européia (UE). Ben Ali e o seu partido vencem as eleições de 1994. O governo, porém, é acusado de perseguir a oposição, que no ano seguinte ganha as eleições em 47 prefeituras. O crescimento do fundamentalismo islâmico preocupa o governo. A condenação do presidente da Liga Tunisiana de Defesa dos Direitos Humanos a cinco anos de prisão, em janeiro de 1998, provoca protestos internacionais. Em maio, o governo anuncia um plano de privatização de 50 empresas estatais até o final de 1999. Desde o dia 18 de dezembro de 2010, o país assiste a massivos protestos populares que derrubaram o presidente Zine El Abidine Ben Ali.
  • Você Sabia? A Tunísia foi um dos primeiros países árabes e africanos a se conectar com a Internet.
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Destinos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s